• Bolha imobiliária: mito ou verdade?

    Vira o disco. Vamos falar de assuntos "novos" e que sejam interessantes. Bolha imobiliária no Brasil já perdeu a graça e precisamos evoluir com esse assunto.

    Presta atenção: Se no Brasil houvesse uma bolha para estourar, a mesma teria estourado no ano de 2011, onde a valorização dos imóveis foi acima de 25% e o capital especulativo era enorme. Pessoas que compravam para posteriormente revender. E isso acontecendo depois de anos de crescimentos acentuados, que foi 2009 (com 22%) e 2010 (com 25%). Números incríveis, não é mesmo?

    2012 e 2013 os imóveis continuaram com valorização (em torno de 12%), ainda que seja mais moderada.

    E esse ano (2014) os imóveis estão com valorização acima da inflação. Isso mesmo, acima da inflação.
    Analisando o perfil comprador nesses últimos anos, afirmo que ele agora é o MORADOR e não mais o especulador, o que nos mostra um mercado mais sustentável e sadio.

     

     

    Esses últimos anos ainda se caracterizaram pela "freada" das construtoras no que tange novos lançamentos, priorizando assim seus estoques. Esse cenário contribui para um "congelamento" de preços. Acredito que em breve, com a baixa desses estoques, os preços dos imóveis voltem a subir, principalmente pela dificuldade que as incorporadoras têm hoje para construir. A legislação Municipal tem restringido bastante, com as exigências dos coeficientes de construção cada vez menores.

    Então, a melhor hora de comprar sempre será a sua hora. Compre de acordo com a sua necessidade e desejo, pois dessa forma você sempre fará um bom negócio.

    Fonte: https://www.facebook.com/palestranteguilhermemachado?hc_location=timeline

  • Divulgado o projeto da nova ponte do centro de Blumenau

    Já está disponível no site da prefeitura de Blumenau o Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) da nova ponte do Centro. No documento, o consórcio Novaponte dá detalhes de como ficará a estrutura.

    O projeto ainda depende de aprovação da comunidade em audiência pública a ser marcada pela prefeitura e pelo Conselho de Planejamento Urbano (Coplan).

    O traçado sugerido liga as ruas Itajaí, no ponto em frete à sede da Rede Feminina de Combate ao Câncer, e Paraguay, entre o Moinho e a AABB. São 180 metros de extensão por 13,8 de largura, com faixas compartilhadas para pedestres e bicicletas e duas pistas de rolamento.

    A ponte terá oito pontos de apoio, sendo quatro no Rio Itajaí-Açu e quatro nas margens. O custo estimado é de menos de R$ 30 milhões, incluindo as obras dos acessos.

    Para diminuir o impacto visual, a opção mais viável segundo o consórcio é construir a ponte no mesmo nível da rua. A solução para não interromper o fluxo de veículos é rebaixar a pista da rua Itajaí sentido bairro/centro para que ela passe embaixo da ponte.

    Esse trecho rebaixado seria inundado com enchentes cujo nível do rio atinja mais de 10,65 metros. Nesse caso, o fluxo pode ser desviado para a outra pista.

    Em relação ao trânsito, quem vem da Ponta Aguda só poderá seguir em direção ao Centro Histórico, sendo proibida a conversão em direção ao Vorstadt.

    Para baixar o EIV da nova ponte do Centro de Blumenau, clique aqui (arquivo com mais de 400 MB)

    Fonte: Blog do Pancho